A casa dos grandes pensadores A casa dos grandes pensadores

| Home | Introdução | Autores | Construtor I Espaço do leitor | Fale conosco PubliqueBusca no site I

Retornar

SKANK

ÍNDICE

1-AMOLAÇÃO

2-É PROIBIDO FUMAR

3-ESMOLA

4-É UMA PARTIDA DE FUTEBOL

5-GAROTA NACIONAL

6-HOMEM Q SABIA DEMAIS

7-JACKIE TEQUILA

8-PACATO CIDADÃO

9-TÃO SEU

10-TE VER

Amolação
 
Deus lá de cima sabe muito bem
Qual a minha sina; o que que me convém
Bicho do mato ela veio comigo
Teve ninho, carinho, broa, abrigo
Labutei na roça, labutei no milharal
Labutei passando bem
Labutei passando mei mal
Bruma do cérebro dela de repente
Brus tão brusca, bruscamente
Deixa de gostar, deixa de tratar bem
Começa a gostar de deixar de me tratar bem
Minha manhosa, nhem nhem nhem
 só penso nela, ela só em se mudar.
Quanto mais eu brigo mais me grudo aqui
Quanto mais eu fujo mais eu tô apaixonado
Bruma no cérebro dela de repente
Brus tão brusca, bruscamente
Dois guris dos oito que a gente tem
Ela apanhou na rua com alguém
Mesmo assim eu fui pai pros pobrezinhos
Na lei da humildade conforme Jesus Cristo
Mas vem esse ódio em câmera lenta
Brrr a serpente pinotiza e me tenta
Eu procuro uma razão em cada ato meu
Deve ser my own fall, deve ser só eu
Que amolação, que amolação
Meu Deus essa mulher só me deu amolação
 

Índice

É Proibido Fumar
 
É proibido fumar - diz o aviso que eu li
É proibido fumar, pois o fogo pode pegar
Mas nem adianta o aviso olhar
Pois a brasa que agora eu vou mandar
Nem bombeiro pode apagar
Eu pego uma garota e canto uma canção
Nela dou um beijo com empolgação
Do beijo sai faisca e a turma toda grita
Que o fogo pode pegar
Nem bombeiro pode apagar
O beijo que eu dei nela assim
Nem bombeiro pode apagar
Garota pegou fogo em mim
Sigo incendiando bem contente e feliz
Nunca respeitando o aviso que diz
Que é proibido fumar

Índice

Esmola
 
Uma esmola pelo amor de Deus
Uma esmola, meu, por caridade
Uma esmola pro ceguinho, pro menino
Em toda esquina tem gente só pedindo
Uma esmola pro desempregado
Uma esmolinha pro preto pobre doente
Uma esmola pro que resta do Brasil
Pro mendigo, pro indigente
Ele que pede, eu que dou, ele só pede
O ano e mil novecentos e noventa e tal
Eu tô cansado de dar esmola
Qualquer lugar que eu passe é isso agora
Essa quota miserável da avareza
Se o país não for pra cada um
Pode estar certo
Não vai ser pra nenhum
Não vai não, não vai não, não vai não
No hospital, no restaurante,
No sinal, no Morumbi No Mário Filho, no Mineirão
Menino me vê começa logo a pedir
Me dá, me dá, me dá um dinheiro aí!
 
Índice
É Uma Partida de Futebol
 
Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer um gol
Como jogador
Quem não sonhou
Em fazer um gol, e ser jogador de futebol?
A bandeira no estádio é um estandarte
A flâmula pendurada na parede do quarto
O distintivo na camisa do uniforme
Que coisa linda
É uma partida de futebol
Posso morrer pelo meu time
Se ele perder, que dor, imenso crime
Posso chorar se não ganhar
Mas se ele ganha
Não adianta
Não há garganta que não para de berrar
A chuteira veste a meia que veste o pé descalço
O tapete da realeza é verde é o gramado
Olhando para bola eu vejo o sol
Está rolando agora
É uma partida de futebol
 meio campo é lugar dos craques
Que vão levando o time todo pro ataque
O centroavante, o mais importante
Que emocionante
É uma partida de futebol
O meu goleiro é um homem de elástico
ó os dois zagueiros tem a chave do cadeado
Os laterais fecham a defesa
Mas que beleza, com certeza
É uma partida de futebol

Índice

Garota Nacional
 
Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestido preto indefectível
Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos como ninguém
Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço bem
Sou um qualquer vulgar, bem, às vezes esqueço
E finjo que não finjo ao ignorar
Que ela me domina no primeiro olhar
Porque ela derrama um banquete, um palacete
Um anjo de vestido, uma libido do cacete
Ela é tão vistosa que talvez seja mentira
Quem dera minha cara fosse de sucupira
Beat it laun,daun daun
Beat it loom, daun daun
Beat it laun, baun baun
Eu quero te provar
Cozida a vapor
Eu te quero te provar
Sem medo e sem amor
 
Índice
 
Homem Q Sabia Demais
 
Ele sabia que o amor é um tiro
Num alvo além da visão
Capaz da miragem mais linda
No olho de um furacão
Sabia que o desejo é um rio
Cheio de eletricidade
Como um animal no cio
Indiferente à felicidade
O homem que sabia demais
Não sabia esquecer
Nem voltar atrás, pois sabia mais
Muito mais do que podia saber
Ele sabia que sua paixão
Debochava da velha moral
Como um feitiço absurdo
Muito além do bem e do mal
Continuava sempre sozinho
Procurando entender a razão
Que lhe tornava um ser tão sabido
Mas não explicava a solidão

Índice

Jackie Tequila
 
Funk lá no morro da Mangueira
Essa menina tá dizendo sim, eu sei
Noite bamba, tudo à beça
Baião na rampa do Cruzeiro
Essa menina tá dizendo don't worry
ause everything is gonna be alright
Everything, every tune will be played by night
Reggae lá na rádio do Café
Rapaziada que tiver afim vai lá
Eu vou ficar com Jackie
Se é que Jackie vai pra lá
E se não for, já foi
O bonde do desejo segue rumo
Caixa, bumbo e sexo
Saudade na rampa do mundo
Seu nome é Jackie, Jackie Tequila
Seu nome é Jacqueline Misty Tequila
Jackie foi nascer numa cabana e Noa Noa
Sol do Taiti na pele, nowboah
Seu pai cruzou o mar, duas filhas na canoa
Coco pra beber e leite de leoa
Jackie é uma menina tão bonita que enjoa
Enjôo de vertigem, viagem de avião
Hálito de virgem, dois olhos de amendôa
Vaca, cadela, macaca e gazela
Linda toda, toda linda ela
Toda beleza se reconhece nela
Jackie Tequila, coca-cola e água
Égua, língua, míngua minha mágoa.

Índice

Pacato Cidadão
 
Pacato cidadão, te chamei a atenção
Não foi a toa não
C´est fini la utopia,
Mas a guerra todo dia
Dia a dia não
Tracei a vida inteira planos tão incríveis
Tramo a luz do sol
Apoiado em poesia e em tecnlogia
Agora à luz do sol
Pra que tanta TV, tanto tempo pra perder
Qualquer coisa que se queira saber querer
Tudo bem, dissipação de vez em quando é bão
Misturar o brasileiro com o alemão
Pra que tanta sujeira nas ruas e nos rios?
Qualquer coisa que se suje tem que limpar
Se você não gosta dele, diga logo a verdade
Sem perder a cabeça, sem perder a amizade
Consertar o rádio e o casamento
Corre a felicidade no asfalto cinzento
Abolir a escravidão do caboclo brasileiro
Numa mão educação, na outra dinheiro
Pacato cidadão
Ô pacato da civilização

Índice

Tão Seu
 
Sinto a sua falta
Não posso esperar tanto tempo assim
O nosso amor é novo
É o velho amor ainda e sempre
Não diga que não vem me ver
De noite eu quero descansar
Ir ao cinema com você
Um filme à toa no Pathé
Que culpa a gente tem de ser feliz
Que culpa a gente tem, meu bem
O mundo bem diante do nariz
Feliz aqui e não além
Cê sabe que eu faço tanta coisa
Pensando no momento de te ver
A minha casa sem você é triste
E a espera arde sem me aquecer
Não diga que você não volta
Eu não vou conseguir dormir
À noite eu quero descansar
Sair à toa por aí
Que culpa a gente tem de ser feliz
Eu digo ele ou nós dois
O mundo bem diante do nariz
Feliz agora e não depois
Me sinto só, me sinto só, me sinto tão seu
Me sinto tão, me sinto só e sou teu

Índice

Te Ver
 
Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível
É como mergulhar num rio e não se molhar
É como não morrer de frio no gelo polar
É ter o estômago vazio e não almoçar
É ver o céu se abrir no estio e não me animar
É como esperar o prato e não salivar
Sentir apertar o sapato e não descalçar
É ver alguém feliz de fato sem alguém pra amar
É como procurar no mato estrela do mar
É como não sentir calor em Cuiabá
Ou como no Arpoador não ver o mar
É como não morrer de raiva com a política
Ignorar que a tarde vai vadia e mítica
É como ver televisão e não dormir
Ver um bichano pelo chão e não sorrir
É como não provar o néctar de um lindo amor
Depois que o coração detecta a mais fina flor
 
Índice

Retornar