Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco | CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

 
Jornalismo
 
De volta ao Mapa da Fome
Por: Marlene A. Torrigo

Devido a grave recessão econômica a população brasileira está empobrecendo. Em 2014, sete milhões de brasileiros estavam na miséria, contudo, de lá para 2018, esse índice quase que triplicou. O Brasil, que conseguiu sair do Mapa da Fome em 2014, graças a um conjunto de políticas públicas, voltou a figurar entre os países de povos famintos.

Atualmente 13 milhões de brasileiros estão passando fome. Segundo pesquisadores do IBGE, a recessão econômica trouxe o desemprego que favoreceu o índice de pobreza e colocou o Brasil novamente na Mapa da Fome da ONU. Pesquisadores destacam também como responsável pelo empobrecimento os altos tributos, que boa parte da população não pode e não consegue pagar.

Países como a Namíbia, Colômbia, Índia, Bolívia, estão entre os países classificados no Mapa da Fome devido ter mais de 5% de suas populações ingerindo menos calorias do que o recomendado. A Namíbia é um dos países que mais sofre com a fome, com 42,3% da sua população sofrendo por escassez de alimentos.

Segundo especialistas, o risco do Brasil aumentar o seu índice no Mapa da Fome é real devido a diminuição de arrecadação de impostos, o corte de gastos públicos e corte de programas sociais.

Também, estar entre os países de cobrança de impostos mais altos, alimenta em muito o quadro da pobreza do país. Conforme cálculos do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação, de todo rendimento anual de um trabalhador brasileiro, cinco meses de salários desse ano trabalhado são destinados aos cofres públicos.

Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: DEKF (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.