Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco | CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

ANTONIO PAIVA RODRIGUES
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
A POLÍTICA BRASILEIRA É CRUEL E DESUMANA
Por: ANTONIO PAIVA RODRIGUES

A POLÍTICA BRASILEIRA É CRUEL E DESUMANA

“O discípulo acercou-se do Divino Mestre e inquiriu: - Mestre, como nós devemos interpretar os adversários? O Eterno Benfeitor sorriu e considerou: - Filhos, os inimigos também são filhos de Deus, tanto quanto nós, mas geralmente são pessoas que não pensam por nossa cabeça”.

Deveríamos ser bem tratados por políticos brasileiros que nos representam nos estados, Municípios e no Congresso Nacional, mas infelizmente isso não acontece. Eles em sua maioria são egoístas, prepotentes e colocam os seus azimutes direcionados para o poder, e as obrigações sociais ficam relegadas a um segundo plano. Muitos estão atolados em corrupção e a disposição da justiça, no entanto, quando inquiridos por juízes e procuradores se dizem inocentes e que fizeram tudo dentro da lei. A lei jamais foi distorcida como está sendo agora e a mentira é o ponto forte dos infratores. Devemos a cada instante, vivenciar a proposta desses enganadores do povo, eles não amam seu próximo e a meta de cada um é o vil metal. São tão ambiciosos, visto que querem os grandes ministérios, as posições de destaque do governo, e além do mais, deveriam ter mais consideração com os estropiados, pois ganham demais e os carentes ganham de menos.

Possuem privilégios demais e ainda contam com o beneplácito da justiça em muitos casos. Devemos entender que os ensinamentos do dia a dia continuam perfeitamente atualizados e passíveis de serem seguidos por todos nós. Desconhecem por completo mensagem de amor, de caridade, é presente no dia- a- dia, no agora, e não uma meta distante de nós, uma utopia. Nas pequenas ações começamos a exercer a caridade. Na realidade não almejamos caridades do governo, pois existe a obrigação da realização de obras sociais, entre outras, visto que, pagamos impostos demais e merecemos uma vida melhor e mais humana. Eles nos exploram na energia elétrica, nos combustíveis, na alimentação, no fornecimento de água e a galopante inflação e o diabólico desemprego têm colaborado para o aumento da violência em nosso País.

Que será dos povos trabalhadores se a luta paralisar em mistificação que reforce a tirania e restaure o cativeiro? Precisamos sair do trabalho escravo, da falta de medicamentos, da falta de saúde, da falta de segurança, da falta de educação e nos direcionarmos para castigar os políticos atuais não votando neles. No lugar da cara tensa e preocupada coloquemos o sorriso para removermos as pedras de nosso caminho. A tensão pode fazer com que a pedra vire montanha. O sorriso tem o dom de tornar a pedra em grão de areia. O sorriso produz relaxamento interior, aquela certeza de que você está seguro e em condições de superar quaisquer adversidades. É essa a nossa missão e lutaremos por ela até a perda total das forças, sempre aliados ao poder divino. Vamos falar de política a maior sujeira nacional. Vejam: Perigo – Ele pode ser presidente. Bolsonaro é contra os direitos humanos, ofende homossexuais e mulheres; reage a críticas com a virulência de governantes totalitários e, para se tornar palatável ao mercado, veste o figurino do liberal que nunca foi.

É ele que você quer na presidência? Achamos que há certo exagero por parte da mídia quando critica o candidato Bolsonaro. O voo dos tucanos. O governador Geraldo Alckmin assume o comando do PSDB e aproveita a desistência de Luciano Huck para fazer avançar sua candidatura ao Palácio do Planalto. Fernando Henrique Cardoso fala dos erros do partido e denuncia o “populismo excludente”. Há uma forte articulação em curso que busca reunir PMDB, PSDB, DEM e mais seis partidos em torno de uma candidatura única para enfrentar Lula e Bolsonaro. Resta saber se é viável. “Se nós, que temos uma posição central para salvar o Brasil, não nos unirmos, quem ganhará a eleição seremos um extremista”’. (João Dória, prefeito de São Paulo). Tucanos não se bicam. O PSDB volta a viver uma rotina de brigas internas que só compromete sua já desgastada imagem. A última confusão envolveu deputados mineiros, ligados ao senador Aécio Neves, e o presidente da sigla, Tasso Jereissati.

O motivo da crise foi à contratação da empresa Idea Big Data para criar um plano de ação nas redes sociais. A escolha irritou a ala mineira do PSDB, porque o dono da empresa foi responsável pela campanha do petista Fernando Pimentel. Além disso, a ideia do PSDB de repetir velhas fórmulas, colocando como candidato Geraldo Alckmin, que não empolga e já foi derrotado para presidente incomoda as alas do partido que anseiam que nas próximas eleições, aquela agremiação que representar o novo deve levar a disputa. A liberdade injustificável do condenado. Sentenciado em segundo instância, Dirceu já deveria estar atrás das grades, mas continua a dar as cartas no PT. A partir de seu bunker no Lago Sul, em Brasília, tem agenda de ministro de estado. Esse quadro de julgamentos confusos deixa transparecer que a justiça brasileira está sendo complacente demais com os condenados.

O Petista e o cárcere. 20: número de anos aos quais José Dirceu foi condenado pelo juiz da 13ª. Vara da Justiça de Curitiba, Sérgio Moro. 30: Em julgamento de segunda instância, o TRF-4 condenou José Dirceu a ficar preso por três décadas. 2: Período (em anos) cumprido por José Dirceu na cadeia em Brasília. Hoje está em prisão domiciliar. Quem soltou? Dirceu foi pivô do bate boca acalorado sobre os ministros Gilmar Mendes e Luis Roberto Barroso, do STF. O partido não dá um passo sem que José Dirceu seja consultado. A nova orientação do petista é para que o partido se aproxime mais dos militares. Estado sem lei. Declarações do ministro a Justiça expõem a falência da Segurança Pública do Rio de Janeiro, denunciam as conexões do comando da PM com o crime organizado e arem crise entre governos federal e estadual. “Voltamos à tropa de elite 1 e2”. “Comandantes de batalhão são sócios do crime organizado no Rio. E o que está acontecendo hoje é que a milícia está tomando conta do narcotráfico”. “A virada da curva ficará para 2019, com outro presidente e outro governador. Com o atual governo do Rio não será possível”.

Declarações insinuadas do ministro da Justiça, podemos afirmar que são irresponsáveis, pois hoje um reboliço muito grande para que ele provasse o que disse e ao final da confusão ele não mostrou nada. Ele deveria investigar os corruptos que estão denegrindo a imagem no Brasil no exterior. É mais um que quer aparecer com certeza. Nossa democracia está sendo ameaçada por marginais, por bárbaros, por fascistas que desprezam a própria democracia. (Rodrigo Constantino). De campo grande ao cinema. Com ajuda de Gilmar Mendes, Cabral ganha no STF e não vai para presídio de segurança máxima. Continuará preso no Rio, onde goza de privilégios, mas vai ter de se contentar em ficar sem home theater. Porém essa situação poderá mudar a qualquer momento. (Cabral queria TV de 65 polegadas e home theater (Sistema de som igual ao de cinema)) na cadeia, mas a regalia foi cortada depois que a benesse veio a público.

O STF protagoniza em cada sessão embate de baixíssimo nível. Lembra discussões de botequim pouco antes do momento da saideira. (Marco Antonio Villa). O Rio é maior que o crime e o povo do Rio é muito melhor do que seus governantes. (Mário Simas Filho). Os problemas se multiplicavam, mas nós queríamos acreditar que o crescimento econômico por si só ajustaria as arestas. (Bolivar Lamounier). “Lula e Bolsonaro são o extremo da polarização. Um se tornou cabo eleitoral do outro, parece que um não sobrevive sem o outro”. (Marina Silva0). “Levante a mão quem nunca se decepcionou com um amigo. É óbvio que fiquei decepcionado com o Aécio Neves” (Luciano Huck). “Há dois grandes grupos: o dos que não querem ser punidos e o dos que não querem ficar honestos nem daqui para frente”. (Luis Roberto Barroso). A aposta dos tucanões.

Depois de meses de guerra fraticida, o PSDB entra em acordo sobre a candidatura de Geraldo Alckmin a Presidência da República. Falta saber se ela vai decolar. Mestre: Fernando Henrique Cardoso – comanda o show, mas suas palavras às vezes saem truncadas. Feliz – Aloysio Nunes. Vê o lado positivo de tudo, inclusive ficar no governo Temer. Soneca – Geraldo Alckmin – vive fazendo cara de sono, mas está mais acordado do que nunca. Dengoso- João Dória. Topa qualquer parada que o tire da prefeitura de São Paulo. Dunga – José Serra. Tem duas obsessões: vagar pela noite e ser presidente. Atchin. Aécio Neves – Com seus espirros, espalha calamidade à sua volta. Zangado. Tasso Jereissati. Vive furioso com os colegas que se comportam mal: quase todos. E assim caminha a politicalha brasileira. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI-JORNALISTA- MEMBRO DA UBT- DA ALOMERCE- DO PORTAL CEN (LUSO-BRASILEIRO) – DO PARA LER E PENSAR E DO RECANTO DAS LETRAS.

Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: LeRB (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.