A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco | CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Jornalismo
 
Furacão, terremotos e seus efeitos
Por: JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA

Nossos problemas são de outra natureza!


A passagem de um fenômeno natural de efeito devastador, como um furacão ou terremoto, seja em que lugar for do planeta, sempre preocupa e deixa marcas inesquecíveis pelo efeito que causa nas pessoas atingidas direta ou indiretamente. Mas os recursos tecnológicos atuais permitem a tomada de medidas preventivas porque há previsão da chegada deles. Daí vermos tanta correria na busca por artigos e gêneros indispensáveis para a sobrevivência, antes da passagem do perigo anunciado. Os moradores desses lugares já sabem o que fazer.
O terremoto que atingiu a costa sul do México, quinta-feira passada (07/09/17) deixou um saldo de 60 mortos. Isso mostra como a força da Natureza ainda não foi dominada pela vontade humana. Além dos prejuízos materiais causados pela destruição física nos locais atingidos, outras atividades, principalmente o turismo, são prejudicadas porque as pessoas evitam visitar as cidades onde isso aconteceu recentemente. Por isso, o gasto para recuperar a destruição, sem movimentar a atividade principal da cidade, desequilibra a economia de qualquer lugar no mundo.
Mas a região do Caribe, muito conhecida por suas praias paradisíacas, sempre foi muito castigada por furacões. Desde o último dia 8 do mês em curso, o Irma, de categoria máxima na escala Saffir-Simpson, aproximou-se da costa de Cuba e segue no sentido da Flórida, nos Estados Unidos. Neste estado norte-americano vivem muitos brasileiros, sendo bastante visitado por causa da Disney World, o parque de diversões mais famoso do mundo. Os telejornais mostraram como as pessoas estão se preparando para a passagem deste furacão. A ordem é fugir da rota dele!
Sempre nos despreocupamos com os fenômenos naturais destruidores que ocorrem em outros países porque eles não acontecem por aqui. Por isso, quando ocorre qualquer abalo sísmico por aqui, a maioria de intensidade suportável, o assunto vira notícia por vários dias. Mas tremores frequentes, tempestades, furacões, tsunamis e outras ameaças geradas pela própria natureza nunca tiraram o sono da população e das autoridades. Nosso grande problema climático se resume a seca no Nordeste e as enchentes e desmoronamentos no Sul e Sudeste. Então...
De fato, comparado com os países situados geograficamente no Círculo do Fogo, onde existe a maior quantidade de vulcões que se conhece no planeta, somos um país abençoado por Deus. Se em todos os lugares onde as praias são de tirar o fôlego de qualquer um, há uma inconveniência de furacões e tsunamis, em terras brasilis isso passa bem longe de incomodar os turistas que vêm nos visitar. Mas por motivos que podem ser resolvidos, bastando para isso uma simples mudança de atitude, os endinheirados nativos preferem gastar seus dólares no exterior.
Infelizmente, como em tudo na vida, nunca podemos ser tão agraciados sem uma restrição que nos coloque nas mesmas condições de dificuldades dos demais. Por causa disso sempre ouvimos que a grande desvantagem que temos em relação aos que precisam enfrentar os poderosos e imbatíveis fenômenos naturais é a qualidade do povo. Isso mesmo! Diz-se até que quando o Criador estava definindo onde cada povo viveria, o Seu assistente questionou o porquê de tantas regalias para o Brasil. Ao que Ele respondeu: entenderás depois de ver quem o ocupará!
Como somos diferenciados por natureza, dispensamos os fenômenos naturais para destruir as riquezas do país e os sonhos das pessoas. O vendaval de denúncias que alimentam os noticiários diuturnamente devasta as cidades, mesmo que fisicamente imperceptíveis, de forma pior que os Irmas da vida. Imaginem se além da ação predatória dos Três Poderes, reforçada pela insanidade de algumas empresas privadas, ainda tivéssemos de enfrentar a fúria e incomplacência da Natureza. Edificações e infraestrutura se ergue outra vez... Povo sem moral, é mais difícil.


J R Ichihara
09/09/2017

Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: ESeO (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.