Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

Walquiria Rocha Machado
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Conto
 
Lembranças da minha mãe...
Por: Walquiria Rocha Machado


Acordei assustada e sentei na cama num pulo... rapidamente abri os olhos e um fecho de luz entrava pela porta entreaberta e deixava entrar com ele aquele barulho de pedaladas da máquina de costura tão conhecido por mim. Era a minha mãe incansável naquela máquina pedalando pelas madrugadas afora, para entregar logo cedo o vestido pronto e receber alguns trocados dos quais era a nossa refeição do dia...

Era a minha mãe tão batalhadora que sustentava a todos nós, nove filhos dependentes dela e além de tanto trabalho ela ainda achava tempo para nos educar e encaminhar para a vida... Ela nos obrigava a estudar e exigia de nós educação e regras de higiene, mesmo com tão poucos recursos ela sonhava fazer de todos nós cidadãos de bem e vencedores, e ela conseguiu!!!

Naquela época a luz era fraca e difícil, então olho para a minha mãe curvada e com os olhos encostados na costura, não querendo errar nenhum ponto, e tentando enxergar com os seus óculos surrados e antigos, mas de grande valia...

Quando ela varria o chão, lembro dela recolhendo todos aqueles retalhinhos e sonhando fazer a nossa colcha de retalhos... Vou fazer uma para cada filho dizia ela, e assim ela fez... Ela fazia roupas para as nossas bonecas iguais as nossas e eu me sentia importante sentada no portão com uma bonequinha tão simples, mas vestida igual a mim...

Lembro até hoje o sufoco que foi para ela vestir os cinco filhos mais velhos para a primeira comunhão, três meninas e dois meninos, da qual eu estava incluída, e ela fez tão vitoriosamente nossos vestidos longos e brancos com tanto capricho como se fossemos uma noiva e fez camisa social para os meninos e calças compridas de sarja azul marinho, fazendo com que eles também ficassem lindos...

Hoje relembrando estes episódios da minha infância, parece que vejo a minha mãe sentada em um banco de jardim em meio a tantas flores e um céu azul infinito a volta toda dela, e ela com os olhos felizes e brilhantes e com um sorriso largo dizendo: Eu venci!!! é... você venceu mãe...

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: ZgbJ (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.