Paralerepensar - Texto

Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

 
Ensaio
 
Plágio é crime, denuncie!
Por: Marlene A. Torrigo

Publiquei o texto “Velhice – que Deus nos ajude!” em 26/02/18, aqui, contestando o texto de uma escritora, M. Concita Weber. Apenas expressei a minha opinião, porque entendi que Concita expressou-se com alguns trechos melindrosos. Seguidamente, a prosaica escritora Alessandra, na sua escrita rebuscada, em repúdio ao meu texto, publicou “Melindrosas?!, em 01/03/18.

Leia-se alguns trechos em que Alessandra envia mensagens sutis, melindrosas e malévolas, para mim, MULHER!, SER que ela defende com unhas e dentes:
“Distorcendo os fatos para uma mera questão de luta por igualdade, os que despendem toda a sua fúria e desdém nessa qualificação de “melindre feminino”, apenas se furtam a compreender a profundidade e a complexidade que envolve a existência da mulher no mundo.”
“Os tais “melindres” utilizados para diminuí-las e desqualificá-las socialmente, no fundo, só demonstram a sua ineficácia para encobrir a verdade dos fatos.
“É assim que as máscaras caem.”

Bem, fui lá e elogiei-a ardorosamente, por ela conseguir extrair dos seus neurônios inteligentes um texto tão substancioso, a partir de um textinho bobo meu.
Em outros anos, para o Dia das Mulheres, eu escrevi crônicas muito boas sobre a mulher, principalmente relatando principalmente as vítimas do pavoroso feminicídio.

--------------------------------------------------------------

Vale lembrar que em 3/02/2010 eu publiquei aqui, o texto “Bons tempos aqueles!”, e um ano depois, Alessandra publicou, aqui também, em 26/03/2011, um plágio descarado do que que eu publicara no ano anterior, com o título “Bons tempos...” - que está devidamente filmado e bem guardado, caso ela resolva adulterar datas ou excluir a postagem. No dia seguinte ao plágio, 27/03/2011, republiquei “Bons tempos aqueles!”, pedindo que a plagiadora me desse os devidos créditos, mas ela apenas continuou rindo na página principal. Quem lê querendo certificar-se da verdade, basta abrir nas devidas datas e conferir o plágio. Logo depois, em 14/04/2011, eu escrevi o texto abaixo.

"Na página principal - transtorno de personalidade"
O psiquiatra Carl Jung foi criador de novos conceitos sobre a mente humana. Entre outras coisas, ele defendia que o sonho seria a manifestação principal do nosso inconsciente. Jung entrou para a história da psicanálise com suas teorias revolucionárias. Agora, cinquenta anos após a sua morte, foi publicado o Livro Vermelho, que relata os delírios bizarros de Jung, transcritos por ele mesmo. Trata-se de desenhos e escritos desconexos e impressionantes que revelam outra faceta do grande médico e filósofo.
As pessoas surpreendem. Aquelas que nos parecem um poço de integridade, num descuido fatal deixam cair suas máscaras e, que decepção! Recentemente eu me chateei demais aos descobrir plágios de alguns textos meus feitos por uma escritora e um médico. Eu vinha suspeitando de ambos há meses. Nossa... Eu lhes nutria grande admiração por suas qualidades textuais e perfis idôneos.
Tudo começou assim: Eu os lia e de repente exclamava ”Opa, eu conheço essa frase!” Seguia-se: “Opa, eu conheço esse trecho!” E seguia-se: “Opa, eu conheço esse enredo.” E de opa em opa, constatei que ambos me plagiavam de verdade. Realmente foi um grande desapontamento. Descobri que eles simplesmente pegam temas e trechos dos meus textos, rebuscam-nos, distorcem-nos, mas o plágio está lá, latente! Sequer o título de alguns textos eles se deram ao trabalho de fazer os neurônios pensar, usando iguais ou similares aos meus. Recentemente a tal escritora arrasou no plágio da minha crônica “Bons tempos aqueles!”. Levei até um susto com tanto descaramento. Bacharéis?!... Plagiando quem sofre as penas das penas para a montagem de um texto plausível? Inacreditável!
Por e-mail, um amigo me passou isto: “Lamentavelmente, têm pessoas que procuram aplicar a conhecida "Lei do menor esforço", como os parasitas que se aproveitam dos outros para se sustentar. Só que isso sempre é desmascarado, mais cedo ou mais tarde.”
O quê leva certas pessoas a proceder de modo vergonhoso assim? Possivelmente são portadoras de TRANSTORNO DE PERSONALIDADE, que as faz querer mostrar a todos o dínamo que são, mesmo que seja obtido com a ajuda de meios ilícitos. O superego de uma pessoa assim explode rindo na página principal da sua vida, levando-a a crer que é a estrela-mor de todas.
Engana-se quem pensa que psicopata é apenas o serial-killer. Políticos corruptos, líderes ególatras e arrogantes, indivíduos que desrespeitam e violam direitos autorais, mentirosos, enganadores e outros, são também psicopatas e estão enquadrados no quadro de transtorno de personalidade antissocial.
O pensador Eckhart Tolle frisou: “Conheci também muitos outros profissionais que podem ser tecnicamente bons no que fazem, mas cujo ego sabota seu desempenho de forma constante. Será que alguém está conseguindo mais reconhecimento do que eu?“
Demais, apesar de sabê-los doentes, tudo bem. Destarte, quem me plagia desconhece que publico na internet apenas tarefas literárias as quais dou conceitos de sofríveis a medianos. Já as tarefas as quais dou os neurônios aqui ó, encontram-se bem guardadas, aguardando serem publicadas em livros. E essas tarefas, meus caríssimos plagiadores, vocês não tem como plagiá-las!


 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: CJSd (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.