Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

 
Ensaio
 
Alegorias e adereços - Adeus às ilusões!
Por: Marlene A. Torrigo

Vivendo em São Paulo desde criança e sendo carioca, passei uma única semana de Carnaval no Rio de Janeiro. Foi em 1986, quando a minha escola querida, a Beija Flor de Nilópolis, realizou um desfile histórico açoitada por um forte temporal desde o momento que entrou na avenida até a apoteose. Com o samba-enredo "O Mundo É uma Bola", o carnavalesco Joãosinho Trinta apostou tudo em luxo e imponência, porém a escola foi prejudicada pela forte tempestade. Alegorias e adereços ruíram, mas os sambistas não se deixaram abater dando um show de alegria e samba no pé na pista alagada. Naquele ano, quem arrebatou o primeiro lugar foi a grande Mangueira. Dadas as circunstâncias, os sambistas da Beija vibraram com um honroso segundo lugar.
Presentemente, após ter dobrado o Cabo da Boa Esperança e conseguintemente o Cabo das Tormentas, sou de ficar quietinha em casa nos agitados dias de carnaval, torcendo para a Beija e dando uma força para o carnaval paulista, assistindo tudo na telona, claro.
Ah sim! Já assisti a um desfile de escolas de samba de São Paulo, de camarote! Convidada fui pela família da minha nora. Engraçado, não lembro o ano – sei que foi antes da virada do milênio – e também não lembro quem ganhou. Acho que meu esquecimento se deve (à velhice?) à minha estima amorosa pelo carnaval do Rio, que sonho assistir de camarote. Sonhar eu posso?
Se caso fosse eu cem anos mais moça, ousaria sonhar em desfilar na Beija como destaque especialíssimo, mas, rumando para o Cabo do Desespero, é melhor frear os meus sonhos flutuantes. Sequer sonho mais com a volta do meu amor, aquele que se perdeu de mim em algum carnaval descolorido da minha vida. Destarte, hei de contentar-me apenas em segurar viva a minha vida linda. Lindamente viva até o último dos meus carnavais!
Bem, acabou-se o Carnaval. É quarta-feira de cinzas. Adeus às ilusões! Em anos vindouros tem mais. Para quem gosta, carnaval é a mais pura festa de alegria. Muita, muita alegria. Muitos versos e sonhos mil. Muitas cores e fantasias.


 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: YFVa (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.