Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

 
Crônica
 
Febre Amarela - Silvestre e Urbana
Por: Marlene A. Torrigo

Existe dois tipos de Febre Amarela: a Silvestre, que ocorre em zonas rurais e florestas e a Urbana que ocorre nas cidades. Casos de transmissão urbana, no entanto, não são registrados no País desde 1942.
Os sintomas são febre, calafrios, dor de cabeça, dores no corpo, cansaço, náuseas e vômitos. Há hemorragias, insuficiência hepática e insuficiência renal. Um dos sintomas é a coloração amarelada da pele e do branco dos olhos. A patologia pode levar à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente. É revelada por sorologia (que detecta anticorpos do paciente) e por PCR (que detecta o próprio vírus).
Inexiste tratamento específico para eliminar o vírus da Febre Amarela. O tratamento consiste em manter as condições vitais do paciente, com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado, até a recuperação espontânea. Os quadros clássicos e/ou fulminantes, exigem atendimento em Unidade de Terapia Intensiva, o que reduz as complicações e a letalidade.
A vacina da Febre Amarela é criada com o vírus atenuado e, após a aplicação, são produzidos anticorpos que nos protegem contra a doença selvagem. Algumas pessoas sofrem reação à vacina. Só podem ser vacinadas crianças acima de seis meses. O imunizante também é restringido às pessoas imunossuprimidas, àquelas com reação alérgica a ovo, aos idosos acima dos 60 anos, às gestantes e pessoas portadoras do vírus HIV ou com doenças hematológicas. Esses casos devem consultar o médico antes de se vacinar.
A patologia é de notificação compulsória internacional, objeto de vigilância pela Organização Mundial da Saúde.

(Fonte: Web)

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: JVgU (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.