Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Crônica
 
Solução Brasil
Por: Salvatore D' Onofrio

Peço licença para discordar do leitor Carlos Marechal de Carvalho ("Militares", Diário 24/11) quando afirma que, face à atual corrupção institucionalizada do Norte ao Sul do País, a única salvação que nos resta é clamar por uma intervenção militar. Concordo plenamente com ele ao declarar a falência do nosso sistema de governo fundamentado no presidencialismo de cooptação. Citando textualmente: "Somos o único caso de "democracia" no mundo que condenados por corrupção legislam contra os juízes que os condenaram, que as decisões do STF podem ser mudadas por condenados, que os mesmos façam seus habeas corpus ou legislem para mudar a lei e serem libertos". Tudo isso fere frontalmente o princípio constitucional de que todos somos iguais perante a lei, não sendo política, judicial e eticamente aceitável qualquer forma de privilégio.
Mas não será um regime de forças, uma ditadura militar, a resolver nosso arcaico problema institucional. Já experimentamos isso ao longo da nossa história e nunca deu certo. Sou visceralmente contra qualquer forma de governo autoritário, que nos impeça de pensar, sentir, contestar, agir livremente. É a arrogância e o egoísmo de parlamentares, juizes e executivos que causam a injustiça social, permitindo a corrupção generalizada e não castigada. Para acabar com isso a única arma eficiente é o voto consciente. Não deixo de repetir a constatação de que, na atual situação, não há político inocente: quem não é pessoalmente corrupto, é conivente ou omisso.
Então, não é uma forma de suicídio nacional reconduzir no poder gente como Maluf, Collor, Sarney, Lula, Temer e caterva? Se votássemos sempre em pessoas diferentes, acabaríamos com a formação de currais eleitorais e os aspirantes à ocupação de cargos públicos entenderiam que, se não fossem honestos e competentes, não teriam futuro, pois não seriam reeleitos pelo voto popular. É essa consciência de cidadania que precisamos instilar no povo, especialmente nas camadas mais pobres e desinformadas, que votam esperando favores de algum salvador da pátria. Seria de um incalculável benefício para o País, se a mídia (impressa, televisiva, eletrônica) e os contatos entre grupos cívicos e religiosos, familiares e amigos, fizessem uma vasta e contínua propaganda de esclarecimentos, pois as eleições de 2018 se aproximam. Se continuarmos a reeleger os mesmos políticos não teremos o direito de reclamar, visto que continuará vigorando o velho bordão: "o povo tem o governo que merece"!
--
Salvatore D' Onofrio
Dr. pela USP e Professor Titular pela UNESP
Autor do Dicionário de Cultura Básica (Publit)
Literatura Ocidental e Forma e Sentido do Texto Literário (Ática)
Pensar é preciso e Pesquisando (Editorama)
www.salvatoredonofrio.com.br
http://pt.wikisource.org/wiki/Autor:Salvatore_D%E2%80%99_Onofrio

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: PgLO (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.