Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Artigo
 
DESFAÇATEZ DE UM PRESIDENTE
Por: Tolentino e Silva

Previdência Social, uma Previdência Imperial, criada pelo Decreto n° 9.912-A, de 26 de março de 1888 (128 anos), regulou o direito à aposentadoria dos empregados dos Correios. Fixava em 30 anos de efetivo serviço e idade mínima de 60 anos os requisitos para a aposentadoria. A Lei n° 3.397, de 24 de novembro de 1888, criou a Caixa de Socorros em cada uma das Estradas de Ferro do Império.

CLT - Consolidação das Leis do Trabalho - Criada através do Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, publicada no DOU de 09/08/1943 (74 anos).

São inadmissíveis, inaceitáveis, inexplicáveis as atitudes de um governo ilegítimo, que assumiu “na marra” o poder, através de conjuração (Associação de pessoas que, secreta ou clandestinamente, conspiram contra um governo), dentro do próprio palácio onde morava, o Palácio do Jaburu, em Brasília, quando vice da presidenta Dilma. Em apenas um ano e sete meses após invadir o Palácio do Planalto, Temer, cercado de deputados e ex-políticos corruptos e empresários, coloca o país e os brasileiros numa roleta russa, ou seja, coloca uma única bala no tambor e atira, propositadamente, no alvo mais fraco, os trabalhadores. Com apenas um tiro, como que de misericórdia, destrói a CLT (a lei que ampara os trabalhadores) e ameaça, a qualquer custo, inclusive compra de votos, mudar as regras das aposentadorias, através da reforma da Previdência Social, mesmo sido provado e comprovado que a mesma é superavitária. De acordo com Eduardo Fagnani, a Previdência Social não tem déficit. “Desde 1989 nunca se cumpriu rigorosamente o que reza a Constituição, no que diz respeito ao financiamento da Seguridade Social, da qual a Previdência é parte. A parcela que cabe ao governo não é considerada, o que serve para alardear um falso déficit e justificar mais ‘reformas’ com corte de direitos.” Essas mudanças trarão danos irreparáveis às classes de aposentáveis, aposentados e pensionistas. Em momento algum, em toda a minha vida, pensei que algum chefe de Estado, principalmente brasileiro, tivesse tamanha desfaçatez!

(Eduardo Fagnani é professor do Instituto de Economia da Unicamp, pesquisador do Centro de Estudos Sindicais e do Trabalho (CESIT) e coordenador da rede Plataforma Política Social).


Fontes: Site da Previdência Social – 01/05/2013
TRT/rtsp/jus/geral/tribunal/CLT
Site rio.rj.gov distatic (aposentáveis)
Site brasildebate.com
Site causa operária org – 06/09/2017

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: CgDQ (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.