Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

José-Augusto de Carvalho
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Trova
 
O MEU CANCIONEIRO - 2 * A gula
Por: José-Augusto de Carvalho


A contas com seu repasto,
sem pudor nem temperança,
vai o frei enchendo a pança,
que de carne não é casto.


Atento à gula do frade,
diz-lhe el-rei: tende cuidado,
comer tanto é arriscado,
tanto mais na sua idade!


Ah, Senhor, este prazer,
confessa o frei seu pecado,
é nada se comparado
á dor de outro já não ter…


Ah, que prazer sobrevinha!
Que fome me consumia!
E quanto mais eu comia,
Mais era a fome que eu tinha!...


Divertido, olhando o frade,
El-rei, sorrindo, lhe diz:
Que o sabor dessa perdiz
Seja o da vossa saudade!...



José-Augusto de Carvalho
Alentejo, 21 de Dezembro de 2006.

In “O meu cancioneiro -2”
Cantigas de escárnio e maldizer

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: QVfL (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.