Paralerepensar - Texto

Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

 
Prosa
 
CAMINHOS DA GRAMÁTICA IBINDA, 2ª PARTE
Por: Joaquim Mbatchi

EXERCÍCIO 9

Traduz para o português:

1. Ndili utébe biole.
2. Nandi ka lianga libuchi ko.
3. Beno lulili ko?
4. Minu izolanga ulia likoko.
5. Nani lili ikuánga chi yaya?
6. Njie welaliá malolo ama ivata.
7. Befo ku Njinji mbizi m’situ tubalianga.
8. Nchiá lizolanga ulia ku buala mu nthangu mene?
9. Manthandu mamphá ki vanga.
10. Balu vangizi isalu chiandi.




OS DEMONSTRATIVOS, SUA CONCORDÂNCIA COM OS SUBSTANTIVOS

SINGULAR

Achichi (achi): isto, este, esta
Achiochio (achio/ochio): isso, esse, essa.
Chinani (china): aquilo, aquele, aquela

* Esses demonstrativos concordam no singular com substantivos iniciados por chi/i.

EX.: Chîka achichi chiami: esta cama é minha.
Chinkhutu achi tata sumbizi chiau: esta camisa foi o pai quem a comprou.
Iteka achiochio chibênga: essa flor é vermelha.
Chinani chivioka kuna ibúlu chi nganzi: aquilo que passa lá é um animal feroz.
Achi chiuma chiaku? = Isto é tua coisa?
Achichi nhitu ami: Isto é meu corpo.



PLURAL

Abibi (abi): isto, estes, estas
Abiobio (abio/obio): isso, esses, essas
Binani (bina): aquilo, aqueles, aquelas

* Esses demonstrativos concordam no plural com substantivos iniciados por bi/u.

EXEMPLOS:
Ukuánga abibi bieka mbunji: Estas chikuangas já têm bolor.
Biula abiobio bi bukila muana mbáta: Esses sapos são para o tratamento do baço da criança.
Binkhutu binani m’vîndu bikele: Aquelas camisas estão sujas.
Abi biuma bi mama: Isto é coisas da mãe.



Os demonstrativos que se seguem concordam no singular com substantivos iniciados por li e no plural com os iniciados por ma.

SINGULAR

Alili (ali): isto, este, esta
Aliolio (alio/olio): isso, esse, essa
Linani (Lina): aquilo, aquele, aquela

PLURAL

Amama (ama): isto, estes, estas
Amomo (amo/omo): isso, esses, essas
Manani (mana): aquilo, aqueles, aquelas

Exemplos:

Alili mphá li mantheka: Isto é pão com manteiga.
Linani liambu li chiunda: aquilo é um assunto triste.
Liwanga aliolio li mônho: Essa rã está viva.
Matanzilin’ama ma sumbisa: estas tangerinas estão a venda.
Mayaka amomo mabômba: Essas mandiocas estão fermentadas.

OBS.: Alili ainda equivale a liawali, aliolio a liawolio e linani a lialina.

Ex.: Lialina likalu liami liviokila kuna: é aquela a minha viatura que passa por lá.




Mas, atenção:

Se alguém disser “likalu liaku liáwolio”, isto significa em português que “vem aí o teu carro”.
Likalu liaku lialina livioka muna nzila: o teu carro é aquele que passa na via.

Amama, amomo e manani também correspondem, respectivamente, a mawama, mawomo e mamana.

Ex.: Mawama meka mambu: isto já são problemas.
Mawomo mataba ma nkhaka Landu: isso são farrapos da avó Lando.

Manani imona kuna mamana mapapa ma Malila: o que vejo lá são os chinelos da Malila.


OS SUBSTANTIVOS INICIADOS POR LU/LO NO SINGULAR MUDAM NO PLURAL EM TU/ZI/TO E CONCORDAM COM OS SEGUINTES DEMONSTRATIVOS:

SINGULAR

Alulu (alu): isto, este, esta
Alolo (alo/olo): isso, esse, essa
Lunani (luna): aquilo, aquele, aquela

PLURAL

Atutu (atu): isto, estes, estas
Atoto (ato/oto): isso, esses, essas
Tunani (tuna): aquilo, aquele, aquela

EXEMPLOS:

Alulu lusende lu chingola: isto é espinho do bagre.
Luselengo alolo lu ma kunthebila: esse bissonde já me mordeu.

Lunani lusiemo: aquilo é relâmpago.
Loso alo lu nkhunzu: esse arroz está cru.
Luziolo alu lu chélila inlenje: esta tesoura é para o corte de cabelo.

Azizi zisende zi bingola: isto são espinhos de bagres.
Ziselengo aziozio zi me kunthebila: esses bissondes já me morderam.


Tunani tusiemo: aquilo são relâmpagos.
Toso atoto tu nkhunzu: (esse arroz está cru.)
Tuimbu tuna minu ivanga tuau: fui eu que compus aquelas canções.
Tuziolo atu tu chélila inlenje: estas tesouras são para o corte de cabelo.



OS NOMES INICIADOS POR KU/KO CONCORDAM NO SINGULAR COM OS DEMONSTRATIVOS A SEGUIR:

SINGULAR

Akuku (aku): isto, este, esta
Akoko (ako/oko): isso, esse, essa
Kunani (kuna): aquilo, aquele, aquela

Exemplos:

Aku kulu ku ngulubu: isto é perna de porco
Kulu akuku ku ngúlungu: esta perna é de veado.
Koko kuna kuandi: aquela mão é dela.
Kutu akoko ku dinda: essa orelha está inchada.



OS SUBSTATIVOS SUPRACITADOS PASSAM PARA O PLURAL EM MA/MI CONFORME OS EXEMPLOS A SEGUIR:

Amama malu ma ngulubu: isto é pernas de porco.
Malu amama ma ngúlungu: estas pernas são de veado.
Mioko ina yandi: aquelas mãos são dela.
Matu amomo ma dinda: essas orelhas estão inchadas.


REPARA AGORA OUTROS EXEMPLOS DA PASSAGEM DOS MESMOS DEMONSTRATIVOS DO SINGUULAR PARA O PLURAL:

Kulu akuku (esta mão) = malu amama (estas pernas)
Kutu akoko (essa orelha) = matu amomo (essas orelhas)
Kulu kuna (aquela perna) = malu mana (aquelas pernas)
Koko kunani (aquela mão) = mioko inani (aquelas mãos).







OS NOMES INICIADOS POR MU OU M’ CONCORDAM NO SINGULAR COM OS DEMONSTRATIVOS:


SINGULAR

Awuwu (awu): este, esta
Awowo (awo/owo): esse, essa
Unani (una) /anono (ano/ono): aquilo, aquele, aquela

Exemplos:

Awuwu muana náni? = Este filho é de quem?
M’chiento unani njie kizili: Aquela mulher veio ter contigo.
Muivi owo kunsi kifumina? = Esse ladrão vem donde?
Muntu owo ku Bungo Fuana kikuênda: Essa pessoa vai a Bungo Fuana.
M’lele ono nthalu kele: Aquele pano custa caro.
Unani muila: Aquilo é rio.
Ono ukuiza kuna m’kundi ami: Aquele que vem lá é meu amigo.
Muika awu u nkhose: Este pêlo é de leão.
Muanza una wami: Aquele tecto é meu.


PLURAL

Ababa (aba): estes, estas
Abobo (abo/obo): esses, essas
Banani (bana): aqueles, aquelas

Exemplos:

Ababa bâna ba náni? = Estes são filhos de quem?
Bachiento banani beno bizili: Aquelas mulheres vieram ter convosco.
Bana bikuiza kuna bakundi bitu: Aqueles que vêm lá são os nossos amigos.


OBS.: veja como são diferentes os demonstrativos dos substantivos muivi, muila e m’lele no plural.


Mîvi oyo kunsi ifumina? = Esses ladrões vêm donde?
Inlele ina nthalu kele: Aqueles panos custam caro.
Inani mîla: aquilo são rios.
Mîka ayi yi nkhose: Estes pêlos são de leão.
Mianza ina itu: Aqueles tectos são nossos.

Portanto, veja a seguir os demonstrativos que concordam com os mesmos nomes no plural.

Mivi/mîla ayiyi (ayi): Estes ladrões/rios
Mivi/mîla ayoyo (ayo/oyo): Esses ladrões/rios
Mivi/mîla inani (ina): Aqueles ladrões/rios


No entanto, ainda existem palavras que no singular concordam com os demonstrativos ayiyi, ayoyo e inani, de modo concreto as iniciadas por n, m, s.
Repara:

Nhitu ayiyi yi sémua: Este corpo é sagrado.
Mphákasa oyo yi lemana: Essa pacassa está ferida.
Nzabaku ina yi súkuluila binkhutu: Aquele sabão é para lavar a roupa.
Wenda bika sabi ayi ke mama: vai deixar esta chave à mãe.


OS NOMES INICIADOS POR BU CONCORDAM NO SINGULAR COM OS SEGUINTES DEMONSTRATIVOS:

SINGULAR

Abubu (abu): isto, este, esta
Abobo (abo/obo): isso, esse, essa
Bunani (buna): aquilo, aquele, aquela

PLURAL

Ayiyi
Ayoyo
Inani

Exemplos:

Bualkazi obo mama vekeze buau: Essa comida foi a mãe quem a enviou.
Buatu buna bueki sinda: Aquela canoa está a afundar.
Buala abu bu nkhulu bene: Esta aldeia é muito antiga.
Búku abobo bu ma bola: Esse cogumelo já está podre.
Tata wendeze builu abubu ku Chiowa: o pai foi esta noite à cidade.

Buatu abubu (esta canoa) = Miatu ayiyi (estas canoas).
Náni u-sîli buemba abobo (quem te engravidou?) = Náni ulu-sîli memba amomo (quem vos engravidou?).
Buatu buna bu m’vubi buala (aquela canoa é do pescador da aldeia) = Miatu ina yi bavubi ba mâla (aquelas canoas são dos pescadores das aldeias).
Buala abubu buami (esta aldeia é minha) = Mâla amama mami (estas aldeias são minhas).

N.B.: A partícula “abubu” além de ser demonstrativo também é advérbio de lugar (quando colocada junto dum verbo.
Repara na frase a seguir:

Tuala abubu zimbongo ziami yi-sómbika: Dê agora o meu dinheiro que te emprestei.

À semelhança da nota anterior ainda temos a partícula akuku, akoko, kunani que podem ser demonstrativos ou advérbios de lugar.

Como demonstrativos:

SINGULAR

Akuku (aku): isto, este, esta
Akoko (ako/oko): isso, esse, essa
Kunani (kuna): aquilo, aquele, aquela

Exemplos:

Kulu akuku ku náni? = De quem é esta perna?
Koko akoko ku suenga: Essa mão é estreita.
Kutu kunani ku nkhombo: aquela orelha é de cabra.


Veja agora as mesmas partículas como advérbios.

Tuende akuku: vamos aqui.
Wenda bônga nzungu kuna chikuku: vai tirar a panela lá na cozinha.
Bika kuenda oko: Não vai aí.
Náni kele akoko? = Quem está ali?



OS INTERROGATIVOS

Nchiá? = O quê?
Náni? = Quem?
Ba náni? = Quem são?
Chi náni? = De quem é? A quem pertence?
A chiau? A liau? / Chiau? Liau? = Qual? (Que coisa?)
A biau? = Quais?
Italu mbisi? Italu kuá? = Quanto (s), quanta (s)?
Kuá? Bakuá? Makuá? Ziakuá? = Quantos, quantas?
Ibila? = Porquê?

SEU EMPREGO NA FRASE

1. Njie na Mphitu, nchiá witomba kuawaku?
Tu Mpito, o que queres aqui?
2. Muan’ono náni kitemena?
Aquele menino está a espera de quem?
3. Na Mbachi ibila mbisi kabuílili?
O Mbachi caiu porquê?
4. Limeme ali li náni?
Esta ovelha pertence a quem? (De quem é esta ovelha?)
5. A liau? (Limeme mbisi?)
Qual? (Qual ovelha?), (Está onde?)
6. Italu kuá chi bantu chizizi? Ou (Bantu bakuá bizizi?)
Quantas pessoas vieram?
7. Beno bakuá lukele ava?
Estais quantos aqui?
8. Mamphá makuá masumbukuizi?
Quantos pães foram vendidos?
9. Ubulu kuá bifuili?
Quantos animais morreram?
10. Nchiá Chiaochio?
O que é isso?
11. Chinani nchiá?
O que é aquilo?
12. Susu kuá lubakabili? (Ziakuá zisusu zina lubakabili?)
Quantas galinhas ofertastes-lhes?
13. Kunsi lubongele ziau? Vansi luzibongele?
Donde as tirastes?
14. Vama mbisi zibele?
Estavam onde?
15. Binkhumpa mbisi bilamba ava nzo ayiyi?
Que raparigas estão a preparar a refeição nesta casa?
16. A biau binkhutu lutuele?
Onde estão as roupas que trouxestes?

















CONJUGAÇÃO DOS VERBOS “UMONA” (VER) E “USUMBISA” (VENDER)


PRESENTE DO INDICATIVO

Minu imona (eu vejo)
Njie wimona
Nandi wimona
Befo timona
Beno limona baú bimona


PRETÉRITO PERFEFEITO SIMPLES

Minu muene (eu vi)
Njie muene
Nandi muene
Befo tumuene
Beno lumuene
Bau bamuene


PRETÉRITO PERFEITO (PRÓXIMO)

Minu imuêne (eu vi)
Njie umuêne
Nandi umuêne
Befo tumuêne
Beno lumuêne
Bau bamuêne


PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO

Minu ímona (eu tinha visto)
Njie úmona
Nandi úmona
Befo tumona
Beno lumona
Bau bamona


FUTURO SIMPLES

Minu yelamona (eu verei)
Njie welamona
Nandi welamona
Befo tuelamona
Beno luelamona
Bau belamona

PRETÉRITO PERFEITO COMP.

Minu imonanga (eu tenho visto)
Njie wimonanga
Nandi wimonanga
Befo timonanga
Beno limonanga
Bau bimonanga


IMPERATIVO

Mona (vê)
Tumonanu (vejamos)
Monanu (vede)




USUMBA (COMPRAR)

PRESENTE DO INDICAT.

Minu isumbisa (eu vendo)
Njie wisumbisa
Nandi wisumbisa
Befo tisumbisa
Beno lisumbisa
Bau bisumbisa


PRET. PERF. SIMPLES

Minu nsumbisi (eu vendi)
Njie sumbisi
Nandi sumbisi
Befo tusumbisi
Beno lusumbisi
Bau basumbisi


PRET. PERF. (PRÓXIMO)

Minu isumbîsi (eu vendi)
Njie usumbîsi
Nandi usumbîsi
Befo tusumbîsi
Beno lusumbîsi
Bau basumbîsi


PRET. MAIS-Q-PERF.

Minu ísumbisa (eu tinha vendido)
Njie úsumbisa
Nandi úsumbisa
Befo tusumbisa
Beno lusumbisa
Bau basumbisa




FUTURO SIMPLES

Minu yelasumbisa (eu venderei)
Njie welasumbisa
Nandi welasumbisa
Befo tuelasumbisa
Beno luelasumbisa
Bau belasumbisa




PRETÉRITO PERF. COMPOSTO

Minu isumbanga (eu tenho comprado)
Njie wisumbanga
Nandi wisumbanga
Befo tisumbanga
Beno lisumbanga
Baun bisumbanga




IMPERATIVO

Sumba (compra)
Tusumbanu (compremos)
Sumbanu (comprai)










EXERCÍCIO 10

Texto:

-Nchiá lisala ava zandu?
-Befo biuma tisumbisa.
-Mphila biuma mbisi biaobio lisumbisa?
-Mbote uvitila aku buinji umona.
-Minu bília banthúmizi kuiza sumba.
-Beno biuma livioka usumbisa biau ko bina minu itomba. Kebeze yono to yelasumba mphila oyo lisumbisa.
-Yenda kuaku ka kakele mbongo ko.


1- Após a leitura atenciosa sublinha os verbos encontrados no texto.
2- Identifica a pessoa gramatical, o número, o tempo e o modo em que estão conjugados.
3- Extraiu do texto dois advérbios de negação.
4- Traduz para o português o último parágrafo do texto.































DA VOZ ACTIVA PARA A PASSIVA


O gato comeu o rato: Iwaya lili likuete.

A jibóia matou o cão: Mboma vondeze mbua.

A galinha come o milho: Susu wilia lianya.

O Mamboma cava um buraco no quintal: Mamboma wisika libulu ku lupangu.

O Mbachi construirá uma casa grande: Mbachi welatunga nzo mueka yi nene.

Na passagem da activa para a passiva, o SN1 (sujeito da activa) passa para SP2 (complemento agente da passiva). O verbo passa no mesmo tempo e modo, conjugado com o auxiliar ser.

O rato foi comido pelo gato: Likuete liliwizi ke iwaya.

O cão foi morto pela jibóia: Mbua vondueze ke mboma.

O milho é comido pela galinha: Lianha liliwa ke susu.

Um buraco é cavado pelo Mamboma no quintal: Libulu lisikua ke Mamboma ku lupangu.

Uma casa grande será construída pelo Mbachi: Nzo mueka yi nene yelatungua muna mangolo ma Mbachi.



















DIAS DA SEMANA

Muna sabala m’vimba mutangulua sambuali li lumbu:

Lumingu: domingo
Chikunda: segunada-feira
Chim’muali: terça-feira
Chintatu: quarta-feira
Chim’ná: quinta-feira
Chintanu: sexta-feira
Sabala: sábado


MESES DO ANO

Muna m’vu wonso mukele kumi i ngonda wali:

Ngonda nthete: Janeiro
Ngonda yi m’muali: Fevereiro
Ngonda yi m’tatu: Março
Ngonda yi m’ná (Ndolo): Abril
Ngonda yi m’tanu (Mawalala): Maio
Ngonda yi m’sambanu: Junho
Ngonda sambuali: Julho
Ngonda nana (Kunga-Mabunvu): Agosto
Ngonda vuá: Setembro
Ngonda kumi: Outubro
Ngonda kumi i mueka: Novembro
Ngonda kumi yi m’muali: Dezembro



NUMERAIS CARDINAIS


Mueka: um, uma
Wali: dois
Tatu: três
Ná: quatro
Tanu: cinco
Sambanu: seis
Sambuali: sete
Nana: oito
Vuá: nove
Kumi: dez
Kumi i mueka: onze
Kumi i wali: doze
Kumi i tatu: treze
Kumi i ná: catorze
Kumi i tanu: quinze
Kumi i sambanu: dezasseis
Kumi i sambuali: dezassete
Kumi i nana: dezoito
Kumi i vuá: dezoito
Makumuali: vinte
Makumatatu: trinta
Makumaná: quarenta
Makumatanu: cinquenta
Makumasambanu: sessenta
Lusambuali: setenta
Lunana: oitenta
Luvuá: noventa
Nkhama: cem
Nkhama i kumi: cento e dez
Nkhama i makumuali: cento e vinte
Nkhama i makumatatu: cento e trinta
Nkhama i makumaná: cento e quarenta
Nkhama i makumatanu: cento e cinquenta
Nkhama i makumasambanu: cento e sessenta
Nkhama i lusambuali: cento e setenta
Nkhama i lunana: cento e oitenta
Nkhama i luvuá: cento e noventa
Nkhamawali: duzentos

Nkhamatatu: trezentos
Nkhamaná: quatrocentos
Nkhamatanu: quinhentos
Nkhamasambanu: seiscentos
Sambuali li nkhama: setecentos
Nana li nkhama: oitocentos
Vuá li nkhama: novecentos
Iveve: mil
Iveve chimueka: um mil
Uveve biole: dois mil
Uveve tatu: três mil
Uveve ná: quatro mil
Uveve tanu: cinco mil
Uveve sambanu: seis mil
Sambuali li uveve: sete mil
Nana li uveve: oito mil
Vuá li uveve: nove mil
Kumi li uveve: dez mil
Makumuali ma uveve: vinte mil
Makumatatu ma uveve: trinta mil
Makumaná ma uveve: quarenta mil
Makumatanu ma uveve: cinquenta mil
Makumasambanu ma uveve: sessenta mil
Lusambuali li uveve: setenta mil
Lunana lu uveve: oitenta mil
Luvuá lu uveve: noventa mil
Nkhama lu uveve: cem mil
Nkhamatanu lu uveve: quinhentos mil
Iveve chimueka chi iveve: um milhão
Etc.

TRADIÇÃO ORAL

Mama minu bibula.
Bibula kuna ke náni eh?
Bibula kuna ke muyibi eh.
Muyibi chinda ubula
Ka muana mphasi kimona.
Minu ata ikamba
Kuela kuaku Itíbi.
Itíbi chi muanga lota
Lota muna M’suami
M’suami ku bele mînga
M’situ ku bele kuenda.
Simika itali
Simika ngonzo
Ngonzo imebolala.
Vuata m’chila,
M’chila ku bele vuata, maviolo.
Ilumbu yelafuá kuami
Ku mbuata m’chila aán.
Ilumbu yelafuá kuami
Ku mbuata ikode aán.





























GLOSSÁRIO

Ababa, aba: estes, estas.
Abibi, abi (isto, estes, estas)
Abiobio, abio (isso, esses, essas)
Abobo, abo: esses, essas.
Achichi, achi (isto, este, esta)
Achiochio, achio (isso, esse, essa)
Alili, ali (isto, este, esta)
Aliolio, alio (isso, esse, essa)
Anzi (anjo)
Anono, ono (aquele, aquela)
Ayiyi, ayí (isto, este, esta)
Ayoyo, ayo (isso, esse, essa)
Azizi, azi (isto, estes, estas)
Aziozio, azio (isso, esses, essas)
Awuwu; anunu (este, esta)
Awowo (esse, essa)
Bau (eles, elas; deles, delas; seus, suas); «bau balili: eles comeram»; «bâna bau ibubu balîli ko: os seus filhos ainda não comeram».
Bâna (filhos, filhas).
Bâbana, bâna ba leze: crianças, meninos.
Bâna ba funfu: bebés.
Banani, bana (aqueles, aquelas)
Bantu (pessoas; gente)
Bakuaba (ei-los aqui; estão aqui)
Bakulu (antepassados)
Bakama (esposas)
Bachiento (mulheres)
Bamama (mulheres; senhoras)
Batata (senhores; pais)
Bakala (homem)
Babakala (homens)
Bakene (ficou apanhado)
Bakizi (conseguiu)
Basiele (ficaram)
Basumuki (pecadores)
Basumukuizi (pecaram)
Basundi: habitantes da tribo do mesmo nome; em Cabinda essa tribo localiza-se no Miconje.
Baluelo, bachió (poucos)
Batatimini (aderentes; seguidores; fiéis)
Basazi (trabalhadores); «ndima Tata inene vanji basazi baluelo: a messe do Senhor é grande mas os obreiros são poucos».
Bana: quatro.
Batende: jovens.
Batinu: reis.
Batatu: três.
Batanu: cinco.
Basambanu: seis.
Baná: quatro.
Basambanu: seis.
Batatu: três.
Batanu: cinco.
Biole: dois; duas unidades.
Buali: dois, duas.
Bendeze (partiram; foram);
Belukueze (ficou sarado); «mbevo belukueze: o paciente ficou curado».
Bélika (toma cuidado; proteja; conserva; prontifique); «Bélika inkanda yonso: prontifique os documentos todos».
Bézia (condene); «bézia bana bi bela i lunjia bana bi lunga: condene os culpados e absolve os inocentes».
Beluesa (cure; sane); «njie manga beluesa muan’ami mu loko wikuênda: se tu não curares o meu filho vais à cadeia».
Bekuiza (estão a vir); «batende bekuiza: os jovens estão a vir».
Bília (alimentos; comida)
Biazi (plural de gindungo)
Bielika (coisas; ferramentas; instrumentos)
Bizizi (chegaram)
Bikizi (deixou)
Binani, bina (aquilo, aqueles, aquelas)
Binchololo: perdizes; (Binchololo abi mu m’tambu bibákanene: estas perdizes ficaram apanhadas na armadilha).
Biuma (coisas, artigos, instrumentos)
Biula: sapos.
Biuvu: perguntas; interrogações.
Biziami: cemitério.
Bóndika: molha.
Bóndikeze: molhou.
Bóndameze: ficou molhado.
Buali: dois, duas.
Bualkazi (alimentos)
Buanga: nome próprio duma pessoa.
Buemba: gravidez.
Bueze: atitude do linguarudo; fofoca.
Buese: sorte
Buela: aumentar.
Buete/libuete: cidade.
Buika: mergulhar (em qualquer líquido).
Buivi: ladroíce, ladroeira.
Bundochi: feitiçaria; malvadez.
Buveka: solidão.
Bufuzi: sabedoria
Bunkhazi: responsabilidade pelos sobrinhos, pela família.
Bunkhumpa: virgindade; castidade. Bunsi ma bunduluila bunkhumpa buaku? = Como foi que perdeste a tua virgindade?
Bunkhete: saneamento; higiene.
Bunkhuta: medo; berraria; acção de quem que não suporta a dor.
Bunsuza: luxúria; impureza.
Bukuete: avareza; ambição.
Buvono: estupidez; imbecilidade.
Chinkhutu: camisa
Chingola: peixe do rio; bagre (chingola pu, ngandu pu, intenvu viakene)
Chingúndu: cabaça
Chinzíngilili: coisa redonda
Chiânga: grelha; fumeiro, defumadouro.
Chienzo: molho de macoba
Chinzenze: grilo pequenino (chinzenze va munu susu…)
Chingandi: fulano, fulana
Chiali: leite do peito
Chiala: uma espécie de peixe do rio
Chiaochio: isso
Chingánga (missão, paróquia)
Chingana: o que é alheio; (chingana chizila m’zingu, buna buivi vo bundochi).
Chiazi: picante; (chiazi chi ku liwa nkhatu)
Chingamba (escravidão)
Chimphenze (chimpanzé)
Chiawachi: isto, este; (chiawachi nhitu ami; chiawachi ilumbu chi Mfumu)
Chiazi (cacho = chiazi chi ngazi: cacho de dendém)
Chiézila (luminosidade; luz; claridade)
Chîka (cama)
Chiela (isca)
Chielika: verdade
Chindama (aguenta; suporta)
Chienga (procura)
Chiengeze (procurou)
Chindizi (estás bem; estás forte)
Chiba (passeie; nome próprio duma pessoa… Chiba, chíbila kuna bazábili= Chiba, passeie por onde te conhecem).
Chibote, chimbote (bom, boa; bonito, bonita; lindo, linda)
Chiami (meu, minha)
Chiaku (teu, tua)
Chiandi (seu, sua;dele, dela)
Chitu (nosso, nossa)
Chîna: proibido.
Chinu (vosso, vossa)
Chiau (seu, sua; deles, delas)
Chivu (pilão)
Chinchololo: perdiz.
Chimbuelele: pássaro um pouco semelhante à pomba.
Chínzika (respeita; respeite)
Chínzama (respeita-te)
Chindumba (prostituição)
Chinvele: nada; zero.
Chiula: sapo
Chikueya: coelho.
Chikondama: saquito feito de pano.
Chimphandi: lagarto
Chingómbe: nome próprio duma pessoa (sexo feminino).
Chinkhóle: cativeiro; cadeia; escravidão.
Chiánika: nome próprio duma pessoa (sexo masculino).
Chiose: um; uma unidade.
Chioze: frio.
Eneke: se não fosse. (Eneke Nguindi nkhanu Itima luele: se não fosse a Nguindi a Tima ficava ferida).
Futa: paga, pague; (futa m’kanu u lala tolo: paque a dívida para que fiques sossegado).
Dangumuna: inclina, incline.
Foyo: lata.
Funda: queixa, queixe.
Fuambila: nome próprio duma pessoa; (vem de lufua mbila).
Fianka: nome próprio duma pessoa (do sexo feminino).
Fiti: aborrecimento, desagrado
Ikombozo: vassoura
Ikóteke: canivete
Ikueze (chikueze): genro, nora.
Lândana, landaziana (seguimento; andar um após outro; nome próprio da vila do município de Cacongo).
Lalanzi, lilalanzi (laranja).
Lalika (meter a flutuar ou a boiar)
Laukua: loucura; problemas mentais.
Liambu (problema, situação, assunto)
Lianha (milho).
Libênga: vermelho, maduro.
Libumba: túmulo.
Likazu, kazu (cola, fruto da árvore chamada m’kâzu).
Lisambu, sambu (peixe seco)
Lisuela, suela (lágrima)
Lizuela, zuela (túnica, batina)
Liyindu, yindu (pensamento; propósito)
Likanda, kanda (família)
Liyimi, yimi (gravidez)
Likundi, kundi (fruto; comprimido)
Likuba: saco.
Likuela, kuela (casamento)
Liángafa (calor; temperatura elevada)
Lianza (gordura; dores de barriga a uma puérpera).
Lianzi (ninho)
Liambu (problema; assunto).
«Liambu va munu, lubongo va koko» (nada se pode resolver sem meios).
Litona: mancha; nódoa.
Liyaka, yaka (mandioca)
Liufa (suor).
Lizina, (nome); lizina liaku nani (qual é o teu nome?)
Lilolo, lolo (mamão).
Lichió, chió (ovo)
Liyanji, yanji (gentileza; alegria). «Chingola liyanji, lianzi liandi libélemeze»
Liandi (seu, sua, dele, dela)
Lieno (dente)
Liela (inteligência)
Lieso: vista; olho.
Lieze (folha)
Lifulukua: maduro, madura.
Lisumu, sumu (pecado)
Lisuela: lágrima.
Lizuela: túnica; batina.
Litaba: trapo; farrapo.
Litama, tama; litolo, tolo (bochecha)
Litafi, tafi (ramo duma árvore)
Lituti: nuvem.
Lisevo: riso.
Liveko: mosca tze-tze.
Liumba: nome próprio duma pessoa.
Liwanga: rã.
Loso: arroz.
Lota: doença da pele vulgarmente conhecida por “fígado”.
Lowa: filária.
Luimbu (cântico; canção)
«Luimbu luyola muana ileze mu munu m’kuluntu kaluyúwila» (a criança aprende dos mais velhos).
«Yolanu luimbu lumueka lumôna» (cantai um cântico novo).
Lonje, lilonje (conselho; ensinamento)
Lungundai (vaidade; arrogância)
Lunangu, lulendu (soberba)
Lunhemo (orgulho; exaltação)
Lusingu (maldição)
Lusemu (bênção)
Lusiemu (relâmpago)
Lusende, sende (espinho; pico)
Lunjienvu, njienvu (ramo de palmeira)
«Nhoka nakutébila lunjienvu lueka lu tina»
Ludezo (grão de feijão)
Lulimi, lulaka (língua)
Ludevu (barba)
Luita: assobio.
Luila: regras, mênstruo; hemorragia.
Lutumu (mandamento)
Lutambi (pegada, rasto)
Lukanu (propósito; intenção)
Luselêngo (bissonde; formiga vermelha)
Luvunu: mentira.
Malembe: devagar; sossego; paz.
Mazi: água; líquido.
Mata: saliva.
Mambu: problemas; situações.
Mangaka: órgão sexual masculino.
Mataya: nome próprio (género feminino).
Mambuku: nome próprio (género masculino).
Masuela: lágrimas; nome próprio (género feminino).
Makanda: famílias.
Masambu: peixe seco (no plural).
Madezo: feijões.
Máka: sobe, suba.
Maká: seiva duma planta ou árvore, que borra.
Makazu: produtos da árvore m’kâzu; cola “comestível”.
Mákizi: subiu.
Makuela: matrimónio.
Matanu: cinco.
Matona: manchas; nódoas.
Masambanu: seis.
Mabete: gotas; (mabete ma mazi: gotas de água)
Masânsa: uma espécie de ervas cujo contacto com o corpo humano provoca comichão; (masânsa ba ku búmbangana)
Mânga: uma espécie de palha que serve para a cobertura de casas nas aldeias.
Maná: quatro.
Manana: perdão; desculpas.
Mankhámba: batata quase amarga preferida pelos bayombe.
Mankhúndi: feijão maluco.
Makaya: folhas; pulmões.
Mazuela: túnicas; batinas.
Maveko: moscas tze-tze.
Matá: armas.
Matechie: lama, lodo.
Matu: orelhas.
Mbachi, mbaka (do verbo “ku mbaka”): apanha-me.
Mbachi: nome próprio duma pessoa do sexo masculino.
Mbânji: testemunha.
Mbânza: banzas (derivado dos ramos de palmeira).
Mbânza zi mphati: costelas.
Mbata: bofetada; baço; cimo.
Mbau: praga; maldição.
Mbazu: fogo, lume; (tala mbazu ikuênga: veja o fogo a arder).
Mbevo: enfermo.
Mbeze: ferida.
Mbeka: sucata.
Mbeluesa: sara-me.
Mbelukueze: estou curado.
Mbi: mal; crime. “Mbi iliata, ka mbote iliátanga ko: as más notícias correm célebre, mas o bem é mais lento”.
Mbizi: carne; animal.
Mbikila: deixa-me.
Mbonga: (tira-me para que fique contigo; recebe-me).
Mbongo: dinheiro.
Mboze: adubo, fertilizante.
Mbota: estrela; arbusto da planície ou floresta).
Mbote: bem; saudação.
Mbotula: tira-me (mbotul’ava: tira-me daqui).
Mbú: mosquito.
Mbuá: cão, cadela. “Mbuá malu maná, vanji nzila imueka to kilandangananga” (o cão tem 4 patas, mas só segue um caminho: não se deve servir a dois mestres em simultâneo”.
Mbuá: aborrecimento (interjeição).
Mbualanji: nome próprio duma pessoa do género masculino.
Mbuatili: garrafa.
Meze: folhas.
Meza: (palavra derivada do português e adaptada no Ibinda para designar mesa).
Menga: sangue.
Meso: vistas, olhos.
Meno: dentes (seva m’bi meno maku ma bobo wikuánika: não se deve desprezar o que a natureza fez, o que deus criou).
Mêmba: gravidezes.
Miema: mangais.
Miaka: comichão; miaka mbeze: comichão da ferida; (miaka mbeze ukalitila mu ndambu: a ferida não é coçada onde ela pode sangrar / à casa dum visionário não se aproxima).
Miongo: rins; lombos.
Minu: eu (pronome pessoal da 1ª pessoa gramatical).
Mínuau: estou bem.
Mín’owo: volto já.
Mîka: pêlos.
Mongo, miongo: colina, colinas.
Monho, mionho: vida, vidas.
Mphanza: mandioca crua. (M’sina mphanza buta nduli buta m’tobo: da mesma família geram-se bons e maus filhos).
Mphanza-nyeva: mandioca doce.
Mphanza-nduli: mandioca amarga; (mphanza nduli imánunua mu tonta: a mandioca amarga acaba na medida em que as pessoas a vão provando).
Mphanzu: nome próprio de alguém do sexo masculino.
Mphaka: teimosia; nome próprio duma pessoa; (m’kuá mpháka: teimoso).
Mphakasa: pacassa.
Mphasi: sofrimento; nome próprio atribuído a alguém que nasce em circunstâncias difíceis. (Náni muene mphasi? = quem sofreu?)
Mphemba: nome próprio de alguém do sexo feminino.
Mphembe: branco, branca
Mphese: barata.
Mphitu: nome próprio duma pessoa dos dois sexos.
Mphingu (mphingu nti: torro (de madeira)
Mphîngu: infidelidade (chingandi ma vóla mphingu = fulano cometeu adultério)
Mphongo: nome próprio duma pessoa.
Mphokongo: cansaço, fadiga.
Mphofo: cego.
Mphólo: relatório; resoluções; (utuvana zi mphólo: dá-nos as resoluções).
Mphóto: ramela (fiona zi mphoto: limpa as ramelas).
Mphú: chapéu.
Muanga: dor.
Muanza: tecto.
Muana: filho, filha (criança).
Muana-fúnfu: bebé; recém-nascido
Muana-m’chió, muana ileze: criança; nené; miúdo.
Muaka: nome próprio duma pessoa (dois géneros).
Muela: a bênção; espírito (muela santu: m’fuzi monho).
Mueze: luar.
Muema: medicamento tradicional para combate às hemorróides, (supositório tradicional).
Muila: rio.
Muika: pêlo.
Muivi: ladrão.
Múnu: boca.
Múnu-tuvi: ânus.
Muntu: pessoa; muntu m’bi / m’biva muntu: homem mau; feio.
Mvumbi: cadáver; nome próprio atribuído a alguém cujos irmãos precedentes morreram. (Mvumbi kusala zu: o morto não escolhe cemitério).
M’bi: mau.
M’biva: feio, feia.
M’chiama: arco-íris.
M’chiento: mulher; esposa
M’dûmba: queda, (cair ao chão).
M’fiote: negro, preto.
M’lálanzi: laranjeira.
M’latu: mestiço.
M’levo: malcriadez.
M’liafu: comilão.
M’nuni: esposo.
M’kazi: esposa.
M’káma: esposa.
M’kanda: papel; folha; (nzo m’kanda: escola)
M’kândi: coconote.
M’kanka: esquilo.
M’kendama: tambor.
M’kodo: barulho dos sapatos.
M’kondo: embondeiro.
M’kônko: galo.
M’kósa: camarão.
M’koza: grande, maiúsculo.
M’kuekeze: sogro, sogra
M’kumba: umbigo.
M’kumbulika (m’kumbulika umueka: uma vez; inkumbulika wali: duas vezes).
M’kundi: amigo.
M’sazi: trabalhador; feitor; (m’sazi mbongo: alguém que emprega gente que produz rendimento).
M’manga: mangueira.
M’sámu: mensagem.
M’safu: safoeiro.
M’sáfu: asneirão.
M’sémo: santa.
M’sênga: cana-de-açúcar.
M’sênse: vassoura feita de varras de ramos de palmeira.
M’sika: paz; sossego.
M’sivu: linha.
M’sochie: inveja.
M’solongo: natural do Soyo.
M’sundi: natural da região do Basundi (Miconje).
M’sumuki (m’kuá masumu): pecador; (basumuki /bankuá masumu: pecadores).
M’tambu: armadilha.
M’tala: mesa; (m’tala Mfumu: altar)
M’tánzilina: tangerineira.
M’tima: coração.
M’tungulu: modelo.
M’vá: cabo; (m’vá tali: cabo do machado).
M’vele: ninguém.
M’vése: osso.
M’vusuku: turbulência; mar-irado.
M’vumbu: feixe; (m’vumbu meze: feixe de folhas).
M’vûmbu: intróito.
M’vutu: resposta; (mphana m’vutu nhenda: dá-me a resposta para que eu vá).
Nana: oito. (Nana li bantu bizizi: vieram oito pessoas).
Nana li nkhama: oitocentos.
Nana li veve: oito mil.
Nandi: ele, ela (pronome pessoal da 3ª pessoa gramatical).
Náni: quem (pronome ou determinante relativo / interrogativo. Nani wizizi? = quem veio? Njie nani: quem és?)
Nata: leva. (Nata zindonga azizi: leva estes pratos; nata likuali ku nzo: leva o cesto à casa).
Nánguna: levanta; apanha. (Nánguna isuáli: apanha a lenha; nánguna muana: levanta a criança).
Nandiau: este aqui.
Nándiau: ei-lo aqui; ele está bem.
Nandiowo: esse aí.
Nándiowo: ele vem já. (Titi nándiowo: o tio vem aí).
Nandiono: aquele lá.
Nándiono: ele está lá; ele vai bem.
Nandi-veka /naveka: ele mesmo, ela mesma; sozinho, sozinha.
Nchiá: o que é. (Ochio nchiá: o que é isso?)
Nchienzo: nojo.
Nchima: macaco, macaca.
Nchiento: fêmea; sexo feminino.
Ndemba, ndembama: paz.
Ndembekele: eu dormi.
Ndémbueze: terminei.
Ndénvukuila: perdoa-me; desculpa-me.
Ndenga: encontra-me; pesado, pesada. (Ndenga ku zandu: encontra-me no mercado. Njie ndenga kele: tu pesas muito).
Ndimba: cor.
Ndimba-ílu: cor azul; azul do céu.
Ndimbu: bola.
Ndiku: amigo, amiga; namorado, namorada.
Ndongisa: ensina-me; (Ndongisa usúkula: ensina-me a lavar).
Ndonga: loiça.
Ndose: sonho.
Ndumba: meretriz; rapariga (para os do norte).
Ndunga: homem mascarado.
Ndungu: batuque, tam-tam.
Ngobele / ngengele-ngebo: conjuntivite; (ngobele ki bela: ela sofre de conjuntivite).
Nganga: quimbandeiro.
Nganga ulongo: curandeiro.
Nganga balônda: advogado.
Ngó: leopardo.
Ngóngolo: mil patas.
Ngombe: boi, vaca.
Ngonda: mês, lua.
Ngondo: macaco.
Ngônje: instrumento musical de dois sons diferentes usado em danças tradicionais; é também usado como despertador durante um aviso ou comunicado de interesse público nas aldeias.
Ngúlungu: veado; antílope; (ntu ngúlungu va chianga, tala ono ulozeze, mbika minu: ninguém deve pagar pelos crimes dos outros).
Nhitu: corpo; (nhitu Kristu: corpo de Cristo).
Nhenze: alegria; felicidade; (nhenze-au bana bi lila ibila belabondua: bem-aventurados os que choram porque serão consolados).
Nhalu: mesa
Nkhala: caranguejo. (Nkhala bakôla mînza: homem sem forças. Zíbula nkhala ku ifiata yaka: não se fazem omeletas sem ovos)
Nkhama: cem, vários; nkhama makumatanu: muitos, muitas; inúmeros.
Nkhata: rodilha; (nkhata muisi: rodilha de fumo = o impossível)
Nkhânda: colecção; conjunto; (nkhânda búku: série de cogumelo).
Nkhâka: avó, avô; (nkhâka wekuenda: o avô / a avó já vai).
Nkhâka-bakala: avô.
Nkhâka-m’chiento: avó.
Nkhôdi: cachimbo velho.
Nkhola: caracol
Nkhomba: irmão; (nkhomb’ami: meu irmão).
Nkhombo: bode, cabra.
Nkhombo-mbakala: bode.
Nkhombo-nchiento: cabra.
Nkhônga: caçador.
Nkhongo: macoba.
Nkhonzo: metade; parte.
Nkhoza: arco usado pelos palmadores.
Nkhúndufu: corcunda, giba.
Nkhûmbi: rato do mato.
Nkhumbuila: disparo; tiro.
Nkhungu: conversação.
Nkhunfu: confusão, tumulto.
Nkhunzu: cru; crua. (Liyaka li nkhunzu: mandioca crua).
Nkhûnza, lukûnza: palha com que se fabrica o tecto duma casa em algumas aldeias; (M’sâkala nkhûnza ba kuvatangana: cuidado com o feixe de palha para não se ferir).
Nkhutu: saco; escorpião.
Obio: isso, esses, essas. (Biula obio: esses sapos; biuma obio: essas coisas).
Obo: esses, essas. (Ba nani obo? = Quem são esses?)
Ochio: isso. (Ochio nchiá; nchiá chiaochio: o que é isso?)
Ono: aquele, aquela; quem. “Ono náni? = Quem é aquela?” “Ono sueme ku m’tima kum’mona ko, ono sueme ku titi nandi wimona = vê-se quem se esconde no capim e não quem se esconde no coração” (quem vê caras não vê corações). “Ono úsumba m’toto náni? Befo bonso Nzambi imueka ituvanga” (O mundo é de todos e todos têm direito à vida).
Olio: isso, esse, essa. (Liwang’olio: essa rã; lilalanzi olio: essa laranja; olio lianzi: isso é ninho).
Omo: isso, esses, essas. (Mapap’omo maku: esses chinelos são teus; omo matanzilina: isso são tangerinas.)
Owo: esse, essa. (nani-owo? = quem é esse?)
Oyo: isso, esse, essa. (Tuala foyo oyo: dê essa lata; bûku oyo yitu: esse livro é nosso; oyo nuni: isso é passarinho).
Oko: ali; aí; aonde; para onde; donde. (Oko m’tuala: ali em frente; zabizi oko ukuenda? = Sabes aonde vais? Ba-náni bikuiza oko? = Quem vêm aí?).
Ozio: isso, esses, essas. (Ozio nzo: isso são casas; zimbong’ozio zibákukua: esse(s) dinheiro(s) está(ão) rasgado(s); zindong’ozio m’vîndu zikele: esses pratos estão sujos).
Uvutukua: regressar.
Uvutukuila: repetir
Ubuela vutukuila: repetir outra vez.
Utumisa: chamar; mandar vir.
Utula: meter; pôr.
Uzénjeleka: pendurar.
Uchétika: colocar num lugar alto.
Uzítisa: honrar; respeitar.
Ukuîla: anoitecer.
Ukuîzia buisi: deixar anoitecer.

Zíbika: fecha (zíbika livitu: fecha aporta; zíbika nzo: fecha a casa; zíbika íbubulu chi kalu: fecha a carroçaria).
Zíbula: abre (zíbula nela: abre a janela; zíbula chikuku: abre a cozinha; zíbula ibubulu: abre a caixa).





DO PORTUGUÊS PARA O IBINDA



1. Abelha: nose; nyose.
2. Água: mazi; m’langu.
3. Amanhã: yono
4. Amar: uzola; kuzola
5. Querer: uzola; utomba.
6. Amendoim: mphinda; nguba
7. Arma: uta; buta.
8. Árvore: m’ti (nti)
9. Avó: nkhaka-m’chiento; nkhaya.
10. Avô: nkhaka-bakala; nkhaya.
11. Azeite de dendém: mafuta ma ngazi.
12. Baía: litibi; tibi li Cabinda (baía de Cabinda)
13. Barriga: ivumu; kivumu; chivumu.
14. Bater/vencer: ubula/ulunga; unuika.
15. Boca: munu; ndaka.
16. Braço: m’vambu koko.
17. Mão: koko.
18. Cabeça: m’tu (ntu).
19. Cabelo: m’lenje; tsuki
20. Cabra: nkhombo nchiento.
21. Canoa: buatu.
22. Carne: mbizi.
23. Carneiro: limeme li mbakala
24. Casa: nzo; ilazi
25. Chefe: mfumu; m’nanga.
26. Chuva: mvula.
27. Cidade: libuete; mbanza.
28. Cobra: nhoka; nyoka.
29. Comer: uliá; ukuámbulua.
30. Comprar: usumba.
31. Cortar: uchela.
32. Coxa: libuba li kulu. (libuba : aranha).
33. Criança: imuamuana; muana-ileze; muana-m’chio.
34. Crocodilo: mbambi
35. Jacaré: ngandu
36. Curandeiro: nganga-ulongo.
37. Dar: uvana; utambika.
38. Dedo: luzala; izala.
39. Dente: lieno.
40. Deus: Nzambi; Mamuene;
41. Dez: kumi.
42. Dia: ilumbu; chilumbu; kilumbu
43. Luz do dia (sol): muinha; (nthangu).
44. Dois: biole; buali; muali.
45. Dormir: ulembekela; ukonda.
46. Elefante: nzau.
47. Enxada: sengu
48. Escravo: m’vika; ngamba.
49. Faca: mbele.
50. Floresta: m’situ.
51. Fogo: mbazu.
52. Garfo: m’sómo
53. Galinha: susu; nguadi; tsusu.
54. Guerra: m’zîngu; m’vita.
55. Hoje: bubu; ilumbuachi
56. Homem: muntu; mutu
57. Homem branco: mundele
58. Ir: ukuenda
59. Irmão: nkhomba
60. Joelho: likungulu
61. Leão: nkhose
62. Leite (de vaca): chiali chi ngombe;
63. Leite (do peito): chiali chi nthúlu; chiali chi libene (chiali chi m’tima).
64. Caça: libuela (buela)
65. Casaco: iyunga
66. Lenha: isuáli (sing.); usuáli (pl.)
67. Leopardo: ngó
68. Língua: lulaka; lulimi
69. Lua: ngonde; (ngonda: mês)
70. Macaco: nchima/ngondo.
71. Machado: itali; kisoki
72. Matar: uvonda; uvozia.
73. Mau: m’biva; m’bí. (lê-se um-biva; um-bí)
74. Mel: wîka; nyose.
75. Milho: lianya (sing); manya (pl)
76. Morrer: ufuá; uliomba
77. Nariz: liyilu; mbungi (lê-se mbungui).
78. Noite: builu.
79. Mulher: m’chiento
80. Novo: chimôna; limôna.
81. Nove: vuá
82. Oito: nana
83. Olhar: utala; umona
84. Óleo: mafuta/nzêta
85. Ombro: livembo; livangati
86. Ontem: chibêle yono/ (yono)
87. Orelha: kutu
88. Osso: m’vése
89. Ovo: lichió
90. Pai: tata
91. Pássaro: nuni
92. Pedra: limanya; ditadi; dimanya
93. Peito: nthúlu
94. Peixe: fu
95. Pele: m’kanda nyitu
96. Pequeno (ser): muntu m’chió; chiuma chichió.
97. Perna: m’vindu kulu
98. Pé: itambi chi kulu
99. Pescoço: m’kokoto
100. Pombo: libembe li mbakala
101. Porco: ngulubu
102. Porta: livitu; muelo; munu-nkhotololo.
103. Precipício: liyenga linene; nzimbala (perdição)
104. Quatro: ná; maná; baná;
105. Ratinho: ipúpuku; muana mphuku
106. Rã: liwanga (wanga)
104. Remédio: ulongo
105. Cara: su; ndunzi
106. Sala (de jantar): ivínga chi lîla.
107. Sangue: menga
108. Sapo: chiula
109. Sete: sambuali
110. Tambor: m’kéndama; dingungulu
111. Três: tatu; matatu; batatu; zitatu.
112. Umbigo: m’kumba
113. Unha: munkhondo
114. Útero: ibutulu (chi m’chiento)
115. Vaca: ngombe nchiento
116. Vacilante: m’kuá bôma
117. Vacina: linguelo.
118. Vacinação: utobula linguelo
119. Vadio: môlo.
120. Vaga: mphuasa; liyó linene.
121. Vaidade: lungundai; ku ikunzika
122. Vaivém: kuenda-i-kuiza
123. Vala: m’buinga
124. Vala comum: libulu liziamina luwolo lu bantu.
125. Valeta: mphuasa buinji mazi ukumbila muna ndambu nzila makalu.
126. Vassoura: ikombozo.
127. Veia: lusila.
128. Vender: usumbisa
129. Veneno: ibiva; chionsoko china chi podi uvonda.
130. Vendaval: ivuku chi mphemu (mphemu ngolo)
131. Venerar: ukunda, uchinzika.
132. Ventre: ivumu
133. Verde: saka-mbisu
134. Vergar: ufutika
135. Vergonha: zi sonya
136. Verme: fínhu; m’sáli.
137. Vermelho: chibênga; chitukula
138. Vertigem: uzieta ilunzi
139. Vinda: luízulu
140. Vindimar: uvela makundi ma nti vinyu.
141. Vinha: ndima inti ibutanga makundi bivangilanga vinyu.
142. Vinolento: ono wikoluanga vinho.
143. Vinte: makumuali.
144. Violação: ubumba; uchitukuila; ubundulua zinthumu.
145. Virtuoso: ivangu mbote.
146. Viúva: m’chiento u fuila m’nuni; m’fuizi.
147. Viúvo: bakala li fuila m’kazi; m’fuizi.
148. Víveres: bualkazi; bília.
149. Voar: ukatukua
150. Vocação: lutelo; chimphituku.
151. Vómitos: malusi
152. Vulto: chindîndi.































AUTOBIOGRAFIA DO AUTOR

JOAQUIM Fernandes Beua MBACHI, filho de João Domingos Mbachi e de Bernardete Beua, nasceu a 14 de Junho de 1969, no Povo Cristão, em Cabinda. Aos oito anos foi levado para o exílio, na ex-República do Zaíre, tendo fixada sua residência, sob a égide do HCR, em Kimbianga, Centro dos Refugiados Cabindenses, desde 1978.
Em Kimbianga fez a sua instrução primária na escola de expressão portuguesa e posteriormente na de expressão francesa (École Primaire Kimbianga), onde em 1983 concluiu a 6ª classe. Inscreveu-se depois na Escola Secundária Paulo Baveca onde de 1983 à 1990 fez os estudos preparatórios e secundários, tendo lá concluído o 6º ano, opção de letras.
Entre 1984 e 1991 também apresentou exames do fim do ano no Colégio Português, em Kinshasa, onde fez os cursos Geral e Complementar dos Liceus.
Arrastado pelo espírito de criatividade e pelo gosto das belas-letras, desde 1987 começou a compor versos e prosas que espelham e vislumbram os seus mais sublimes pensamentos e sentimentos por aquilo que experimentou e continua a observar na vida.
A 19 de Julho de 1992 decidiu retornar à procedência e, em Setembro do mesmo ano, ingressou no Seminário Propedêutico de Cabinda, onde fez, a pedido de D. Paulino Fernandes Madeca, então bispo da Diocese de Cabinda, um ano de experiência, tendo assim na condição de aluno-professor, contribuído na leccionação de Matemática e Francês no 1º e 2º anos, respectivamente.
Em Setembro de 1993 vai a Luanda para o Curso de Filosofia, no Seminário Maior do Sagrado Coração de Jesus. De 1993 a 1997, com interrupção de um ano académico por razões de saúde, fez e concluiu com êxito o 3º ano de Filosofia. Para obtenção do título de bacharel apresentou, no fim do Curso de Filosofia uma tese intitulada “Reflexões Filosóficas sobre a Moral numa Educação Hodierna”.
A 24 de Agosto de 1997, na Sé Catedral, recebe, solenemente, a batina na companhia de oito colegas seminaristas maiores da Diocese de Cabinda.
No mesmo ano é indicado a estagiar no Seminário Propedêutico, onde trabalhou com delicadeza. Ali exerceu a função de Prefeito de Disciplina, sob o acompanhamento do Pe. António Ndembe Ngoma, na altura reitor e ecónomo do referido seminário. Enquanto estagiário, Joaquim Mbachi leccionou no Seminário Propedêutico as disciplinas de Francês e Português no 1º e 2º anos, respectivamente.
Findo o estágio, por razões de vária ordem, preferiu continuar a sua vida em família e, para não cruzar os braços como boémio, ingressou na Educação em finais de 1997, fazendo parte, naquela altura, do grupo que o tempo e as anarquias nunca vistas obrigavam a ser “hilotas”, comendo o pão amassado pelo diabo e haurindo a horrível bebida que os Judeus deram ao Nazareno, na cruz. Joaquim Mbachi leccionou Língua Portuguesa no IMS, IMNE, e no PUNIV até 2005. De 2004 à 2007 também leccionou, em regime de colaborador, a mesma disciplina no Complexo Escolar Talani. É professor de Língua Ibinda no Colégio Chengnene desde 2007, radialista desde 2002 e com a categoria de sub-editor e depois editor do Programa em Língua Local.
Joaquim Mbachi é autor duma obra intitulada “Tchinkhubungu Mbazu Ilolo”, autor de “Caminhos da Gramática Ibinda” e de mais de 40 poemas já publicados no site www.lerparapensar.com, de






































INDICE



1-Breves Considerações sobre a nossa língua nacional
4-Fonologia
6-Texto: Nkhungu
7-O Corpo Humano
9-Vocábulos do nosso dia-a-dia
11-Verbo “Uba”
14-Estrutura da Frase
15-Análise Gramatical
16-Os Pronomes Pessoais (sujeito)
17-Exercício nº1
18-A Frase Afirmativa e a Negativa
20-O grau Diminutivo dos Substantivos em Ibinda
22-Conjugação do Verbo “Utuba”
24-Verbo “Uzola”
26-Texto em Língua Nacional
27-Conjugação do Verbo “Ubua”
29-Os Possessivos
37-Exercício 2
40-Exercícios 3 e 4
41-Exercícios 5 e 6
42-Exercícios 7 e 8
43-Conjugação dos Verbos “Uvanga” e “Ulia”
46-Exercício 9
-Os Demonstrativos, sua Concordância com os Substantivos
52-Os Interrogativos
54-Conjugação dos Verbos “
57-Exercício 10
58-Da Voz Activa para a Passiva
59-Dias da Semana
-Meses do Ano
-Numerais Cardinais
61-Texto: Liaolio Bungu
62-Tradição Oral
63-Glossário
74-Do Português para o Ibinda





 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: adIM (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.