Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Cordel
 
solitude
Por: Celso Roberto Nadilo

no deserto tantas emoções.
tudo esta tão seco;
a vida está cheio de morte,
com um ar tudo soa num noite estrelada...
olho para céu esta cheio de vidas,
nossas almas se perdem num mar
de tantas perdições;
ainda espero que caia do céu,
minha perdição foi querer acreditar,
mais tudo pode se arrastar
ate não haja vida,
a luz se apagou quando me deixou,
meus sentimentos não importam mais,
quando sempre tive esperança,
olho para as janelas dos céus
apenas magoas desceram
no momento que deixe de viver
meus sonhos acabaram
como luz dos céu morrem
diante do meus desejos...
numa tristeza infinita;
todos momentos foram se
para um lugar onde não mais luz,
estou acompanhado ate comece a chover.
olho para escuridão tudo está sepultado,
dentro do meu peito não vou mais
tentar acordar de um pesadelo...
no poder que acabou se no estante;
que me apaixonei a tempestade
foi levando tudo que senti,
nunca existirá uma despedida,
pois nada caíra do céu...
tantas lamentações,
minhas lagrimas tocaram os anjos
que morreram quando desabou a chuva...
a liberdade é apenas um sonho sem perdão
por tanto amar não mais luz do teu olhar,
assim, caiem sem ao mesmo saber o profundo...
de tantas emoções na dadivas
todos fomos enganados pois não salvação.
no desespero todos tem olhar mais triste;
nenhuma magoa pode ser penalizada,
para aqueles olhares estamos mortos.
dentro do coração tudo esta despedaçado...
muitos olhares deixaram obscuro meus sentimentos.
mesmo numa constelação da tua alma;
não sinto mais vida deixada pois a chuva caiu
em vários olhares dos céus,
os anjos estão mortos condenados pela paixão
do meu coração que nunca se calou...
nada mudou de muitas eras passadas,
ainda te amo mais que tudo exista neste mundo,
uma luz na escuridão não mais teu amor,
apenas espaço vazio no meu coração,
você esteve brincando com meu coração
tempo todo fui somente um brinquedo,
minhas lagrimas cobriram os céus ,
não pesa perdão pois estou morto
sem emoções perdido num mundo desconhecido.
celso roberto nadilo

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: EWRR (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.