Agonia
     

A casa dos grandes pensadores
 

ALBERTINO FERNANDES NETO

 

 

 

GENTE
 
Gente que nasce, que cresce, que vive
Gente que come, que dorme, que labuta
Gente que banha, que lava, que apanha
Gente que anda, que corre, descansa

Que mundo que passa, rodopia, se esvai
Que clareia, escurece, e também anoitece,
Que mundo que cansa, que brilha, que encanta,
E desabotoa, desnuda, por fim embalsama

Que morre, padece, que morro, que morre
Que renasço, que revivo, que exulto
Que brigo, que venço, que perco
Sou mudo, sou fala, sou voz, sua voz

Sou homem, sou bicho, sou mulher, sou infante,
Sou flor, sou espinho, neste mundo sou terra
Sou nada, sou tudo, complemento o vazio
Esmoreço, me acalmo, me afago, me apago

Albertino Fernandes (Pensa-me)

 www.paralerepensar.com.br