Agonia
     

A casa dos grandes pensadores
 

ALBERTINO FERNANDES NETO

 

 

 

 

FORÇA

Desperto, desta minha ignomínia acordo.
Renasço, deste torpor informe desgarro.
Semeio culturas longínquas, lutas e artes
Para te ter aqui para te ter mais perto
 
Busquei. Outrora caminhos infindos, aporto.
Chego onipotente de universos distantes.
Destruo garras, corrente e lanças
Em vagas gigantes me lanço aquoso
 
Acolho. Apolo, Júpiter e Mercúrio, sinto.
Assimilo as mais fantásticas formas divinas
Degluto energias e a própria anti-matéria
E te presenteio com furor e orgulho
A memória.
Albertino Fernandes (Pensa-me)

 www.paralerepensar.com.br